Apesar das praias lotadas, PM do Rio só começa Operação Verão em dezembro

RIO DE JANEIRO - Com os termômetros marcando temperaturas em torno dos 40 graus na semana passada ¿ recorde de calor no ano ¿, o verão chegou mais cedo ao Rio. Dezenas de milhares de pessoas lotaram as praias, dando trabalho redobrado para salva-vidas e policiais. Quase mil pessoas foram resgatadas no mar, um artefato explosivo foi encontrado no Leme e uma confusão no Arpoador causou tensão entre os banhistas. Apesar de tantas ocorrências típicas de verão em plena primavera, a Polícia Militar só pretende colocar o seu planejamento para a estação mais quente do ano no final de dezembro.

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

De acordo com o relações-públicas da PM, capitão Ivan Blaz, a Operação Verão terá início somente no dia 21 de dezembro. A ação contará com um aumento significativo no número de policiais posicionados em locais considerados pontos-chave, como orla, areias, acessos às praias e vias expressas. A estimativa é de que mais de 500 homens estejam nas ruas fazendo o trabalho de prevenção na chegada às praias e na volta para casa. Além disso, mais de 70 viaturas estarão em locais estratégicos para garantir a segurança da população, afirmou Blaz.

AE

Praia de Ipanema no último final de semana

Segundo o relações-públicas, enquanto o verão não começa, a corporação realiza a Operação Praia. A ação acontece nos finais de semana de sol intenso e nos feriados prolongados. Nessa operação, a PM disponibiliza um efetivo de cerca de 300 soldados nas praias das zonas sul e oeste e no Piscinão de Ramos.

No último final de semana aconteceram inúmeros eventos no Rio. Tivemos três jogos de futebol com grandes públicos, um show no Maracanãzinho e o Viradão Esportivo. Além disso, teve o aumento da temperatura, o que levou muitas pessoas às praias. Mesmo com esse cenário, tivemos um saldo positivo nas praias, finalizou Ivan Blaz.

Confusão no Arpoador

Milhares de banhistas ficaram assustados na tarde do último sábado na praia do Arpoador, na zona sul do Rio. Por causa de uma suposta briga entre grupos rivais, diversas pessoas saíram correndo, causando tumulto no local. A confusão, ocorrida entre os postos sete e oito, chegou ao calçadão e a algumas ruas de Ipanema.

Havia uma grande aglomeração de pessoas naquela faixa de areia e houve uma briga causada pelo consumo excessivo de álcool. Qualquer confusão poderia causar uma desordem no local, como aconteceu, argumentou o relações-públicas.

Artefato explosivo

Na manhã de domingo, um objeto com características de uma bomba de fabricação artesanal foi encontrado no Leme, também na zona sul. O artefato foi encontrado por guardas municipais dentro de uma sacola plástica próximo ao calçadão.

O esquadrão antibombas da Polícia Civil foi chamado e, quando chegou duas horas depois, identificou uma espécie de bateria com fios acoplados, o que parecia um detonador. Eles então estabeleceram um raio de 50 metros de isolamento e decidiram destruir o objeto por precaução.

Segundo a Secretaria Estadual de Segurança, os policiais depositaram dinamites em torno do objeto e fizeram uma cobertura com areia, o que abafou o som da explosão e evitou estilhaços. Os vestígios que sobraram foram encaminhados para perícia. O resultado conclusivo da análise só deve ser conhecido em uma semana.

(*com informações da Agência Estado)

Leia mais sobre: Verão - praia

    Leia tudo sobre: praia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG