Apesar da boa saúde, Battisti está triste, avaliam parlamentares

BRASÍLIA - Na manhã desta quinta-feira, os senadores José Nery (Psol-PA) e João Pedro (PT-AM), e os deputados José Eduardo Cardoso (PT-SP) e Manuela D¿ávila (PcdoB-RS) visitaram o ex-ativista político Cesare Battisti, preso desde 2007 na penitenciária da Papuda, em Brasília.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Segundo o senador João Pedro, Battisti, apesar de muito apreensivo, está bem de saúde. Ele está muito abalado, mas está bem de saúde. Só achei que está muito triste, ansioso com o julgamento, ponderou.

Cesare Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália sob acusação de ter assassinado quatro pessoas entre 1978 e 1979, quando era integrante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC). No mês passado, porém, o italiano teve o status de refugiado político concedido pelo ministro da Justiça, Tarso Genro.

AP

Battisti preso no Brasil em 2007

De acordo com os parlamentares ouvidos pelo Portal iG, a decisão de Tarso Genro é soberana e o Brasil não pode ceder às pressões internacionais para decidir sobre o caso.

Desde que o governo brasileiro concedeu asilo político a Battisti, o governo da Itália sugeriu a exclusão dos representantes brasileiros da reunião do G8 e ainda a não realização do jogo de futebol entre as seleções do Brasil e da Itália ¿ que ocorreu na última terça-feira.

Para a deputada Manuela DÁvila, é estranho que o governo italiano não tenha retaliado a França quando o presidente Nicolas Sarkozy vetou a extradição da italiana Marina Petralli, ex-terrorista das Brigadas Vermelhas, também condenada à prisão perpétua por assassinato.

O senador João Pedro pondera ainda que o próprio Battisti foi foragido por quase 14 anos na França antes de fugir para o Brasil. Por que a mesma reação não foi tida com a França?", suspeita o senador. Battisti foi militante de esquerda nos anos 70, como houve militância de esquerda no Brasil no mesmo período. Só que na Itália não houve anistia e não pode querer agora tratar um militante como um criminoso comum, diz.

Julgamento

O caso de Cesare Battisti será levado à julgamento no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) nos próximos dias. Quem relata o processo é o ministro Cezar Peluso.

Antes disso, os mesmos  parlamentares que visitaram Battisti devem ainda se dirigir à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ou até ao presidente da República para manifestar a opinião de muito parlamentares, contrários à extradição de Battisti e às tentativas de retaliação do governo italiano contra o Brasil.

Leia também:

Leia mais sobre: Cesare Battisti

    Leia tudo sobre: battisti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG