Apagão no centro do Rio afetou mais de 170 estabelecimentos comerciais, diz sindicato

Um levantamento feito pelo SindRio (Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro) identificou 172 estabelecimentos comerciais afetados pelo apagão que atingiu o centro da capital fluminense por três dias. Destes, 10% sequer abriram as portas nesta quinta-feira.

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

De acordo com o sindicato, os empresários da região ainda estão contabilizando os estragos, mas há estabelecimentos que registraram prejuízo de até R$ 10 mil apenas com insumos estragados, principalmente carnes e laticínios.

Segundo o levantamento, os bares, restaurantes e lanchonetes tiveram prejuízos na queda do movimento ¿ 40% em relação a um dia normal ¿ e na perda de mercadorias e equipamentos.

Após as falhas no fornecimento de energia elétrica, o Procon-RJ decidiu notificar nesta quinta-feira a concessionária Light. A empresa terá que prestar esclarecimento sobre as constantes interrupções ocorridas na capital fluminense desde o final do ano passado.

Segundo o Procon-RJ, foram constatadas deficiências nos serviços prestados pela empresa ¿ como manutenção e operação ¿ através de inúmeras denúncias feitas por consumidores. A Light deverá apresentar sua defesa em um prazo de até dez dias. Caso contrário, as multas poderão variar de 200 a três milhões de UFIRs.

Falta de luz

Nesta quinta-feira, o centro do Rio de Janeiro ficou novamente sem luz. O fornecimento de energia foi interrompido por volta das 8h40 e só foi restabelecido às 16h58 . O problema afetou trechos das avenidas Presidente Vargas e Rio Branco e das ruas Alfândega, Buenos Aires, dos Andradas e Uruguaiana.

Na quarta-feira, a região ficou 22 horas sem luz. O fornecimento foi interrompido por volta das 18h de terça-feira e só voltou às 16h40 de ontem .

Segundo nota divulgada pela Light, os serviços de reparos exigiram um tempo longo de execução por sua alta complexidade e pela dificuldade para a substituição de 600 metros de cabo sob a avenida Presidente Vargas, em razão ao espaço confinado das galerias subterrâneas.

No local ocorreu um curto-circuito e a queima de sete dos oito cabos da rede subterrânea de alta tensão, afetando 3.200 clientes. Na segunda-feira, uma explosão em um bueiro da Light , na esquina das ruas do Ouvidor e Uruguaiana, deixou duas mulheres feridas.

Leia mais sobre: energia elétrica

    Leia tudo sobre: energiaenergia elétricafalta de energialight

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG