Anvisa quer definir em 3 semanas modelo de rastreamento de remédios

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quer definir nas próximas três semanas o modelo do sistema de rastreamento de remédios para combater a venda irregular do produto. A tendência, disse o presidente da Anvisa, Dirceu Raposo de Melo, é adotar um sistema misto, que associe o uso de um selo para comprovar autenticidade, desenvolvido pela Casa da Moeda, com um código bidimensional, capaz de reunir até 256 dados.

Agência Estado |

“A base conteria todo histórico do produto: lote do remédio, prazo de validade, laboratório e empresa de distribuição”, conta Melo. As dúvidas sobre o modelo, no entanto, ainda são inúmeras. Não há ainda avaliação sobre qual seria o custo de todo o processo. A estimativa é de que o selo de autenticidade custe, em média, R$ 0,05 por caixa.

O presidente da agência não sabe, porém, quanto custaria o sistema bidimensional. “Qualquer que seja o valor, ele não poderá ser repassado. Os custos serão pagos pelas indústrias, as principais interessadas em reduzir a falsificação e aumentar as vendas.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG