Anvisa proíbe medicamentos com CFC a partir de 2011

SÃO PAULO - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou que a partir de janeiro de 2011 os medicamentos que contêm gás clorofluorcarbono (CFC) não poderão ser mais produzidos ou importados.

Agência Estado |

A medida é válida para os produtos que utilizam gases propelentes do tipo clorofluorcarbonos, como as bombinhas para asma, que abrangem ainda triclorofluormetano (CFC 11), diclorodifluormetano (CFC 12), diclorotetrafluoretano (CFC 14) e outros clorofuorcarbonos.

Os fabricantes desses medicamentos também deverão colocar, nas bulas e embalagens, o seguinte aviso: Este medicamento contém substâncias que agridem a camada de ozônio e por isso será substituído. Procure seu médico para orientações. A advertência deve ser incluída até 31 de julho de 2009.

Segundo o gerente de Pesquisas, Ensaios Clínicos, Medicamentos Biológicos e Novos da Anvisa, Jorge Samaha, já existem alternativas ao CFC. Um exemplo é o gás hidrofluoralcano (HFA).

As empresas fabricantes deverão entrar com o pedido de adequação dos produtos até 31 de julho de 2010. Na Anvisa, há 12 medicamentos registrados que utilizam o CFC como propelente (para dar impulso). Esses medicamentos são aerossóis utilizados em casos de asma e doenças pulmonares.

Leia mais sobre: CFC

    Leia tudo sobre: meio ambiente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG