Anvisa pede cassação de agrotóxicos que podem causar aborto

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pediu a cassação do registro da cihexatina, substância química usada em sete agrotóxicos aplicados na produção de frutas cítricas, maçã, morango, pêssego, café e berinjela. A decisão, publicada no Diário Oficial da União de sexta-feira, foi tomada após estudos apontarem que o componente pode provocar aborto, má formação fetal, danos à pele, pulmão e fígado, tanto nos trabalhadores da lavoura como nos consumidores de alimentos submetidos a essa substância.

Agência Estado |

Apesar do parecer desfavorável do órgão sanitário, o processo ainda será avaliado por consulta pública nos próximos 30 dias. Só depois dessa etapa, o Ministério da Agricultura define se a cihexatina será interditada no País. Enquanto isso, o produto químico tem autorização para ser comercializado.

“Para pedir a consulta pública, fizemos uma varredura em todas as evidências nacionais e internacionais sobre os problemas destes agrotóxicos”, afirma Letícia Rodrigues, gerente de normatização e avaliação da Anvisa. A substância em debate já está vetada em 15 países, além da União Européia. “Ficou comprovado que, se uma mulher grávida toma um suco de laranja com excesso deste produto, o feto pode ter a formação do crânio prejudicada”, alerta Letícia.

Liminar

A agravante é que as análises que colocaram em xeque os agrotóxicos feitos com cihexatina não podem ser realizadas em outros produtos que estão no mercado. Uma liminar da 13ª Vara do Tribunal Regional Federal (TRF) do Distrito Federal, pedida pelo Sindicato Nacional da Indústria de Defesa de Produtores Agrícolas, barrou as pesquisas sobre as irregularidades em 99 agrotóxicos, muitos já proibidos em outros países.

Para os especialistas, se a decisão judicial não contemplou a cihexatina e os estudos já ressaltaram os riscos potenciais ao organismo, os agrotóxicos blindados pela liminar são ainda mais nocivos à saúde pública. O último relatório da Fundação Oswaldo Cruz, ainda não publicado, evidencia o perigo dos agrotóxicos.

Apenas em um ano, essas substâncias foram responsáveis por 26 envenenamentos por dia no Brasil. Os dados colhidos em 2006 mostram que foram 9.585 casos registrados no total. Os números estão alinhados ao relatório do Programa de Análise de Alimentos da Anvisa, que no ano passado reprovou a maior parte das verduras, legumes e frutas, vendidos no comércio de regiões metropolitanas incluindo São Paulo, por excesso de resíduos tóxicos. As informações são do Jornal da Tarde .

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG