Anvisa interdita lotes de amendoim com excesso de toxinas

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, nesta segunda-feira (7), a interdição cautelar de dois lotes de amendoim das marcas De Rocinha e Moinho Brasília. Segundo a agência, uma análise da Fundação Ezequiel Dias (Funed) detectou que os produtos continham níveis de aflatoxinas superiores ao permitido pela legislação sanitária. As duas empresas têm dez dias para apresentar contraprova aos laudos da Funed. Se as irregularidades forem comprovadas, as companhias estarão sujeitas à sanções legais e a uma multa de até R$ 1,5 milhão.

Redação |

Segundo a Anvisa, as afloxinas são um grupo de toxinas produzidas por determinadas espécies de um fungo chamado Aspergillus, encontrado no amendoim, no milho, no sorgo, na castanha, no cevada, no arroz e em outros cereais. A ingestão em excesso dessas microtoxinas pode causar cirrose hepática, necrose aguda e outros problemas de saúde.

Os lotes interditados não podem ser comercializados e a Anvisa recomenda que as pessoas que já tiverem os produtos em casa não os consumam.

As informações sobre os lotes de cada produto estão impressas nas embalagens. O lote interditado do Amendoim Tipo 2, da marca Da Rocinha, é o de número 10, fabricado em 20 de outubro de 2007 e com vencimento previsto para 20 de outubro de 2008.

O lote interditado do produto Amendoim, da marca Moinho Brasília, é o de número 8, fabricado em 20 de agosto de 2007 e com vencimento previsto para 20 de agosto de 2008.

    Leia tudo sobre: anvisa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG