Anvisa cancela genérico para transplantados

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cancelou no mês passado o registro de um remédio utilizado por milhares de pacientes transplantados no País desde 2003 depois de verificar que a droga, na verdade, não era um medicamento genérico (cópia de uma droga inovadora que tem o mesmo efeito e preços inferior a original). A decisão implica suspensão da importação, distribuição, comércio e uso do micofenolato de mofetila 500 mg, do laboratório Cellofarm.

Agência Estado |

A Anvisa demorou mais de dois anos para tomar a decisão desde que surgiram, em 2005, notificações de que a droga não estaria funcionando. A Cellofarm informou que recorrerá na própria Anvisa e que não houve nenhum prejuízo aos usuários. O laboratório enfatizou ainda ter vendido 40 milhões de comprimidos que teriam gerado economia de cerca de R$ 160 milhões ao Poder Público. Os principais compradores do remédio são Estados e União.

O laboratório Roche, fabricante do medicamento referência, poderá ser um dos principais beneficiados pela decisão, além de outros dois genéricos autorizados recentemente. A Roche não se manifestou sobre o assunto. Licitação de 2007 da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo mostra que a Roche ofereceu um lote de mais de 160 mil comprimidos a R$ 0,89, enquanto a Cellofarm, a R$ 0,59 a unidade.

Segundo a Anvisa, os testes demandam um período amplo e o laboratório teve depois de refazê-los, daí os mais de dois anos de demora. Segundo a agência, não houve novas notificações de problemas com a droga. O teste, chamado de bioequivalência, permite dizer que um genérico é absorvido na mesma concentração e velocidade do que o medicamento que copia. As informações são do Jornal da Tarde

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG