Pequim, 12 fev (EFE).- Orçada em US$ 48 milhões, a reforma do palácio de Potala, antiga residência do dalai lama no Tibete, terminará este ano, informou hoje a agência oficial de notícias chinesa Xinhua.

O projeto inclui também o palácio Norbu Lingka e o mosteiro de Sagya, três dos locais de patrimônio mais importantes do Tibete.

O anúncio foi realizado hoje durante uma reunião sobre proteção do patrimônio cultural tibetano, na qual não se especificou uma data de finalização para este projeto iniciado em 2002, acrescenta "Xinhua".

Construído originalmente no século VII, a uma altitude de 3.763 metros, na Colina Vermelha, o Potala foi proclamado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2001, e sua atual configuração data do século XVII.

Localizado a 300 metros acima da capital Lhasa, o Norbu Lingka ("Parque do tesouro") era o antigo palácio de verão do Dalai Lama, e o mosteiro Sagya, a 4.300 metros de altitude, conserva em seu interior numerosos livros e pinturas clássicas do Budismo.

Os sistemas de controle de incêndios, iluminação, abastecimento de água e esgoto devem ficar prontos em julho ou agosto, enquanto a restauração dos edifícios antigos e dos afrescos está quase finalizada, segundo a "Xinhua".

Os trabalhadores reforçaram a estrutura cilíndrica na qual se apóiam os telhados, informou o administrador do Potala, Champa Kelsang, depois que o palácio sobreviveu a um terremoto de magnitude 6,6 na escala Richter registrado a 82 quilômetros em outubro do ano passado. EFE mz/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.