Antibiótico: só o médico pode receitar

Antibiótico: só o médico pode receitar Por Adriana Bifulco São Paulo, 10 (AE) - Amanhã, 11 de abril, é o Dia Nacional do Infectologista. E os integrantes da Sociedade Brasileira de Infectologia aproveitam para comemorar a data - na qual também se celebra o nascimento do infectologista Emílio Ribas (1862-1925) - e lançar a campanha Antibiótico necessita de prescrição médica.

Agência Estado |

Os especialistas querem alertar a população que, espontaneamente, procura esse tipo de medicamento nas farmácias de todo o País.

"Os antibióticos devem ser prescritos com receita médica. Os remédios de tarja vermelha também deveriam ser vendidos somente com apresentação da receita", afirma Juvêncio José Duailibe Furtado, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), diretor do Departamento de Infectologia do Hospital Heliópolis e professor de infectologia da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC).

Segundo Furtado, essa prática pode provocar efeitos a médio e longo prazos ou levar à uma resistência bacteriana. "São milhões de pessoas tomando antibiótico ao mesmo tempo no mundo. Uma parte dele é absorvida e outra eliminada. Esse antibiótico pode provocar impacto no meio ambiente", explica o médico. "É um medicamento também usado nas rações veterinárias e acabamos ingerindo-o quando consumimos carne. Nosso objetivo, com a campanha, é diminuir essa prática da automedicação", diz Furtado.

"Queremos alertar as pessoas porque o uso indevido dos antimicrobianos pode impedir que eles façam efeito quando realmente houver necessidade de tomá-los", avisa Thaís Guimarães, coordenadora de divulgação da SBI, médica infectologista da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do Hospital do Servidor Público Estadual, do Hospital Santa Cruz e presidente do CCIH do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. "Há pessoas que costumam tomar remédio quando estão com gripe, diarréia. Nesse caso, só quando há uma salmonelose ou shigellose é preciso usar antibióticos. E só um médico sabe quando se trata de um caso desses", enfatiza.


BOXE 1: OS SIGNIFICADOS DAS TARJAS DOS MEDICAMENTOS
- Medicamentos não tarjado - Podem ser vendidos livremente. Provocam poucos ou nenhum efeito colateral ou contra-indicação, desde que usados corretamente. Não é necessária prescrição médica para eles pois são utilizados para tratar resfriados, azias, má digestão, hemorróidas, dor de dente, pé de atleta e outras;
- Medicamentos com tarja vermelha sem retenção de receita - São vendidos mediante a apresentação da receita médica. Têm contra-indicações e podem provocar graves efeitos colaterais;
- Medicamentos com tarja vermelha e com retenção da receita - São os remédios controlados (psicotrópicos). Só podem ser vendidos com receituário especial de cor branca;
- Medicamentos com tarja preta - Exercem ação sedativa ou que ativam o sistema nervoso central. Também fazem parte dos psicotrópicos. Podem ser vendidos somente com receituário especial de cor azul;

Fonte:http://bulario.bvs.br/?action=saude.57114708200522

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG