ANS fixa em 5,48% teto de reajuste de planos de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) fixou em 5,48% o teto de reajuste para os planos de saúde médico-hospitalares individuais/familiares (firmados por pessoas físicas), com ou sem odontologia, contratados a partir de janeiro de 1999 - os chamados planos novos. O reajuste incide sobre cerca de 6,2 milhões de consumidores, ou seja, 12,9% do total de 48,2 milhões de beneficiários de planos de saúde no Brasil.

Agência Estado |

O índice deverá ser publicado no Diário Oficial da União de sexta-feira.

O diretor-presidente da ANS, Fausto Pereira dos Santos, destacou o contínuo trabalho da agência em favor do equilíbrio do mercado e destacou que a manutenção da política econômica do governo federal possibilitou o estabelecimento de um índice de reajuste ainda menor que o dos últimos anos. "Esse percentual confirma a tendência de queda quem vem sendo observada e representa um resultado justo para atender aos anseios dos beneficiários e às necessidades das operadoras de planos de saúde", disse.

O reajuste autorizado pela ANS será aplicado aos planos novos (a partir de janeiro de 1999), contratados por pessoas físicas. Os planos só poderão ser reajustados de acordo com a data de aniversário de cada contrato. Só será permitida retroatividade máxima de dois meses. A relação dos reajustes autorizados está disponível na página da ANS ( www.ans.gov.br ) e é permanentemente atualizada.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG