ANJ e Fenaj rebatem declaração de ministro da Cultura

Associações que representam jornais e jornalistas reagiram à declaração do ministro da Cultura, Juca Ferreira, segundo a qual os jornalistas são pagos para mentir. O diretor executivo da Associação Nacional dos Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira, rebateu: Repórteres são remunerados para apurar e investigar notícias, em busca de informações, a serviço da sociedade.

Agência Estado |

Nos surpreende a declaração de uma autoridade que está à frente da pasta da Cultura."

Por sua vez, o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murillo, se declarou indignado e exigiu que o ministro pedisse desculpas aos jornalistas e à imprensa enquanto instituição. "Acredito que a frase, absolutamente infeliz, é fruto de um momento de tensão, mas ofende a toda uma categoria. Acho que uma retratação do ministro colocaria a questão na dimensão que ela realmente tem", comentou.

A polêmica declaração de Ferreira foi feita na quarta-feira no Rio de Janeiro, quando ele participava do lançamento do novo formato do programa de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) à cultura. Questionado pelos jornalistas por que o ministério publicou um folder com os nomes de mais de 300 deputados que, supostamente, defendem a cultura, Ferreira atribuiu a reação da oposição à ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT ao Planalto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG