Anistiados homenageiam Tarso durante cerimônia em SP

O ministro da Justiça, Tarso Genro, participou hoje da sua última edição da Caravana da Anistia à frente da pasta e foi homenageado por conselheiros e funcionários da Comissão da Anistia, do próprio Ministério, e também por anistiados. A homenagem ao ministro acabou roubando a cena da cerimônia, organizada para prestar um tributo aos trabalhadores grevistas que desafiaram a ditadura (1964-1985).

Agência Estado |

Dos cinco filmes apresentados durante o evento, de quase quatro horas, um deles foi sobre a atuação de Tarso junto à Comissão. O ministro também recebeu palavras elogiosas de alguns participantes, como o presidente do Fórum dos Ex-Presos e Perseguidos Políticos do Estado de São Paulo, Raphael Martinelli, que lamentou a saída do ministro antes do fim do prazo de desincompatibilização, em abril.

O deputado federal e presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) lembrou que Tarso deverá ser candidato na próxima eleição. "O ministro não vai parar, vai ser candidato a governador do Rio Grande do Sul", disse. "Temos tudo para continuar."

Questionado depois, o ministro negou que a cerimônia tivesse sido um ato de campanha. "É o ato final de minha permanência como ministro da Justiça", afirmou.

A Comissão de Anistia começou a analisar hoje, em São Paulo, mais 80 pedidos de anistia de metalúrgicos e militantes políticos perseguidos pelo regime militar (1964-1985), entre eles o ex-governador de São Paulo Mário Covas. A Caravana da Anistia é um projeto da comissão e fez em São Paulo sua 33ª edição. Desde abril de 2008, a iniciativa passou por 17 Estados e julgou cerca de 700 pedidos de anistia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG