Anglo American corta investimentos e adia projeto Minas-Rio

LONDRES (Reuters) - O grupo de mineração Anglo American vai reduzir investimentos previstos para o próximo ano em mais da metade, para 4,5 bilhões de dólares, para conservar recursos diante de um colapso dos preços dos metais. Entre as revisões está o adiamento do cronograma do projeto de minério de ferro Minas-Rio em seis a 12 meses. A Anglo, quarta maior mineradora diversificada do mundo em valor de mercado, opera o projeto de 3 bilhões de dólares que envolve minas, unidade de beneficiamento e um mineroduto de 525 quilômetros (que segundo a empresa será o maior do mundo).

Reuters |

"Tomamos uma ação decisiva como resultado da rápida mudança no cenário econômico e que disparou uma reavaliação de nossos negócios e exigências de desenvolvimento", disse a presidente-executiva da companhia, Cynthia Carroll.

A empresa adiou o cronograma de operação do projeto Minas-Rio em seis a 12 meses, para o final de 2011 ou início de 2012.

Segundo informações do site da empresa no Brasil, o mineroduto e o porto que receberá o minério de ferro de Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas (MG) já receberam licenças de instalação e a área de mineração está em fase de licença prévia. A estimativa inicial do projeto, que tem capacidade de produção de 26,6 milhões de toneladas anuais na primeira fase, era que o primeiro embarque de finos de minério de ferro ocorresse no primeiro semestre de 2011.

A Anglo adere ao grupo de grandes mineradoras como a Rio Tinto que estão reduzindo gastos para sobreviverem à crise global que diminuirá lucro e fluxo de caixa.

Em julho, quando a empresa divulgou resultados preliminares, a Anglo informou que tinha um fluxo de projetos avaliados em 45 bilhões de dólares, incluindo 15 bilhões de dólares em planos aprovados sob desenvolvimento.

Na unidade South African Anglo Platinum, o investimento vai cair para 900 milhões de dólares com o adiamento de projetos.

Já na divisão de metais básicos, cujo principal é o cobre, o investimento será de 1,3 bilhão de dólares e o projeto de expansão de Los Bronces será adiado em oito meses, com a primeira produção esperada agora para o final de 2011.

O preço do cobre, metal mais importante para a Anglo American, despencou 65 por cento desde que bateu recorde em julho.

(Com reportagem adicional de Alberto Alerigi Jr, em São Paulo)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG