Anestésico de ação rápida pode ter sido encontrado na casa de Michael Jackson

O propofol, o medicamento presumivelmente encontrado na mansão de Michael Jackson, é anestésico de ação rápida utilizado para iniciar e manter a anestesia geral que, pelo menos a priori, não deveria estar na casa de ninguém, disse nesta quarta-feira o especialista francês em farmacotoxicologia, François Chast.

AFP |

"O propofol não é para se ter em casa, a não ser no caso de que possua equipamentos para um procedimento operatório de emergência", explicou à AFP o professor Chast, chefe do serviço de Farmácia, Farmacologia e Toxicologia do hospital Hôtel-Dieu de Paris.

"Não é porque foi encontrado propofol em casa de Michael Jackson que teria sido esta a causa de sua morte", explicou.

"Este produto é administrado por via intravenosa mediante perfusão ou através de bomba de seringa eletrônica (com gotejamento controlado eletronicamente)", esclareceu.

"O propofol é muito utilizado em procedimentos operatórios porque é bem tolerado e permite uma recuperação rápida e de boa qualidade. Por isso mesmo é utilizado em cirurgia ambulatorial (intervenção cirúrgica sem necessidade de o paciente passar a noite no hospital) e como sedativo para alguns testes do tipo terapêutico ou de diagnóstico (radiologia e cardiologia interventivas, endoscopia...)", acrescenta.

A substância também pode ser usada como complemento de anestesia local e em cuidados intensivos para aliviar a dor e a ansiedade.

"É provável que não tenha morrido por causa do propofol, a não ser que seja evocada uma causa criminal", adiantou.

Considera, com efeito, difícil a pessoa se autoinjetar com uma seringa; além disso, tanto a a perfusão quanto seu controle exigem a presença de outra pessoa.

"Se a pessoa se injeta com uma seringa comum, pode cair rapidamente em estupor não conseguindo pressionar o êmbolo, ao contrário do que acontece com a heroína", diz o farmacêutico e secretário da comissão de substâncias venenosas e dopantes da Academia de Farmácia francesa.

"Não está descartada a possibilidade de ter sido utilizado o propofol para sedar situações de abstinência" de drogas, disse.

A overdose desta substância produz depressão respiratória e cardiovascular que podem provocar parada cardíaca. Se, junto com ela, forem tomados analgésicos, cabe acrescentar o risco de insuficiência cardíaca.

    Leia tudo sobre: artistasmichael jacksonmorte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG