O ministro da Defesa, Nelson Jobim, negou hoje que na reunião do Conselho de Defesa Nacional - que tratou da nova Política Nacional de Inteligência - foi discutida também a compra dos caças para a Força Aérea. Já o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, disse que espera para novembro a conclusão dos trabalhos da comissão instalada na FAB para analisar as propostas sobre os caças.

A comissão foi instalada para analisar as propostas para a compra de 36 caças. Participam da concorrência a França, a Suécia e os Estados Unidos.

Saito disse que a comissão ainda não apresentou nenhum dado sobre as propostas que estão sendo analisadas. "Estamos ainda ultimando", disse o comandante, ressaltando que ainda há muito trabalho a ser feito. O comandante comentou também que considera importante que esse assunto seja concluído ainda neste ano.

A preocupação de alguns setores do governo é de que, se deixar a decisão para o ano que vem, o processo de compra dos caças seja atropelado pelo processo eleitoral.

Exército no Rio

O ministro da Defesa declarou nesta tarde que só por "determinação do presidente da República e para garantir a lei e a ordem" é que o Exército poderá ir para as ruas do Rio de Janeiro para ajudar no combate à violência.

Jobim ressalvou que é preciso que o governador Sérgio Cabral reconheça a incapacidade do Estado. As declarações do ministro foram dadas na saída da posse do novo ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Samuel Pinheiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.