A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou hoje, em nota, que abrirá um processo administrativo para verificar as condições de segurança operacional da Manaus Aerotáxi, proprietária do avião que caiu no sábado no município amazonense de Manacapuru, matando 24 pessoas. O prazo de conclusão do processo varia de 1 a 6 meses.

"A mais recente auditoria na empresa ocorreu em novembro de 2008 e não foram constatadas irregularidades que comprometessem as operações", informou a agência em comunicado. Há seis aviões da Manaus Aerotáxi cadastrados na agência. São dois modelos Turbo Commander, três Bandeirante (incluindo o envolvido no acidente) e um Xingu. Este último aguarda a liberação do certificado de aeronavegabilidade. A empresa funciona desde 2003 e, até o fim de semana, não registrava acidentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.