Amoz Oz e Philip Roth lideram apostas para o Nobel de Literatura

ESTOCOLMO ¿ O escritor israelense Amos Oz e o norte-americano Philip Roth lideram a corrida para o Nobel de Literatura 2009, que será anunciado na manhã desta quinta-feira (08). A tradicional casa de apostas britânica Ladbrokes coloca os dois romancistas no páreo, ao lado da alemã Herta Mueller e dos também norte-americanos Joyce Carol Oates e Thomas Pynchon.

Redação com AP |

AP

Philip Roth: eterno candidato ao Nobel

O secretário permanente da Academia Sueca, Peter Englund, afirmou que a entidade tomou diversas medidas este ano para evitar o vazamento de informações ¿ no ano passado, o francês Jean-Marie Le Clezio passou a liderar as bancas de apostas na véspera do anúncio do ganhador.

Apesar de não revelar quais seriam as alterações no protocolo de segurança da academia, Englund comentou os procedimentos que os membros adotam no dia-a-dia para não dar pistas dos concorrentes. Em conversas em público, os votantes utilizam senhas para se referir aos autores: Le Clézio era "Chateaubriand"; Doris Lessing (vencedora em 2007), "Little Dorrit"; e Harold Pinter (2005), "Harry Potter". Até livros dos possíveis vencedores são camuflados com capas falsas para não despertar suspeitas.

Ao contrário de seu antecessor, Horace Engdahl, que deu declarações polêmicas afirmando que os Estados Unidos eram muito insulares para desafiar a Europa como centro do mundo literário, Englund adotou tom bastante diverso, muito mais conciliador. "Há autores que realmente merecem e podem ganhar o prêmio Nobel e isso vale também para os EUA e as Américas", disse. O último sul-americano a vencer o Nobel de Literatura foi Gabriel García Márquez, em 1982, enquanto o norte-americano Toni Morrison foi laureado em 1993.

Os concorrentes são mantidos em segredo, mas eventualmente alguns votantes trazem sua indicação a público. É o caso da dinamarquesa Anne-Marie Mai, que revelou seu apreço por Bob Dylan. Acredita-se que o cantor já tenha sido indicado diversas vezes ao prêmio, mas o fato de ele ser compositor e celebrado no mundo inteiro não contam a seu favor ¿ a academia, em geral, prima por autores pouco conhecidos.

O ganhador é escolhido por uma comissão de 18 membros da Academia Sueca, formada por autores, críticos, professores de literatura e linguistas. Atualmente, no entanto, há três vagas não ocupadas. A lista final de concorrentes é definida em maio, a partir de indicações que chegam de todo o mundo.

O escritor cujo nome Englund ler em voz alta nesta quinta-feira será catapultado ao palco mundial e terá a garantia de ver suas vendas decolarem e suas obras fora de circulação de volta às prateleiras.

Além do cheque de US$ 1,4 milhão, o ganhador também vai receber uma medalha de ouro e será convidado a dar uma palestra na sede da academia, na capital sueca. O Prêmio Nobel de literatura será entregue em Estocolmo no dia 10 de dezembro ¿ data da morte de Nobel, em 1896 ¿, junto com os ganhadores de medicina, química, física e economia. O Prêmio Nobel da Paz é entregue em Oslo, na Noruega.

Leia mais sobre: Nobel de Literatura

    Leia tudo sobre: nobel de literatura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG