Amigos de alemão morto em Paraty apostam em delação

O empresário paulista Luiz Oswaldo Pastore acredita que em poucos dias surgirão informações sobre a embarcação que no último dia 31, na praia do Saco de Mamanguá, em Paraty, região sul do Estado, atropelou e matou o seu hóspede, o empresário alemão Christian Martin Wölffer, de 70 anos. Nas suas previsões, o barco causador do acidente sofreu avarias e necessitará de conserto.

Agência Estado |

"Eu acredito que em mais três ou quatro dias algum marinheiro vai saber. Ninguém fica impune, vão ter de arrumar o barco, a pancada foi grande. Seguramente ninguém passa em cima de alguém de 90 quilos impune. Quando você pega um coco já sente. Em algum lugar eles vão ter que consertar o barco e alguém vai abrir o bico", comentou ontem, ainda emocionado com a morte do amigo de mais de 15 anos, por telefone.

Wölffer estava hospedado na casa de Pastore junto com o casal de atores Rodrigo Hilbert e Fernanda Lima . Também estava ali para um almoço de fim de ano o engenheiro José Kalil Filho.

O empresário alemão nadava a 150 metros da praia quando começou a pedir socorro. O casal de atores socorreu o empresário - Hilbert a nado e Fernanda em um caiaque -, levando-o para a areia.

Um barco de Kalil Filho o conduziu até a foz do rio Pereque-Açu, local em que é possível o acesso de carro. Ali, uma ambulância, providenciada pela médica Renata Bittencourt Pataleo - esposa de Kalil - levou o alemão para a Santa Casa de Paraty, onde ele chegou morto.

Leia mais sobre Paraty

    Leia tudo sobre: paraty

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG