O presidente do Diretório Municipal do PT, José Américo Dias, afirmou hoje que não houve nenhum tipo de reclamação dos delegados do partido com relação à aliança com o PDT, oficializada ontem, à candidatura da ex-ministra Marta Suplicy à Prefeitura de São Paulo. Ele acrescentou que o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho (que teve o nome envolvido nas investigações da Operação Santa Tereza da Polícia Federal, por suspeita de esquema de desvio de recursos do BNDES), poderá subir no palanque da candidata petista.

"O PDT vem enriquecer a coligação e ninguém pode ser julgado antes da hora. Se o Paulinho quiser subir no palanque, será muito bem-vindo", emendou.

Américo também comentou o racha interno no PSDB paulista, destacando que isso poderá contribuir, de forma indireta, para a campanha de Marta. "Os eleitores acharão estranho que um projeto pessoal do governador José Serra (PSDB) se sobreponha ao do partido, já que ele apóia o DEM (do prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab). Isso desgasta o próprio debate político," reiterou.

O presidente do Diretório Municipal disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não deverá comparecer à convenção municipal do PT, que está sendo realizada hoje na capital paulista e irá referendar o nome da ex-ministra Marta Suplicy como candidata da legenda nas eleições municipais deste ano. "Ontem, o deputado Aldo Rebello (PC do B-SP, que será vice na chapa de Marta) conversou com o presidente Lula e disse que por conta de compromissos de agenda, ele não iria estar presente no evento." Lula estará, hoje à noite, no evento de lançamento do novo Gol, da montadora Volkswagen, que acontece na fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP). Apesar disso, Américo espera a participação do presidente em outros momentos da campanha de Marta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.