A intervenção cirúrgica pode ser recomendada em 50% dos casos de apnéia obstrutiva do sono - um distúrbio em que a pessoa pára de respirar por pelo menos dez segundos, mais de cinco vezes por hora. A controversa opinião, considerada exagerada por especialistas brasileiros, é do presidente da Academia Internacional de Ronco e Apnéia do Sono, Tucker Woodson.

Woodson desenvolveu uma técnica de reconstrução da faringe, em que reposiciona os tecidos de forma a desobstruir as vias aéreas. A cirurgia consiste em avançar o palato e a faringe para a passagem do ar por trás. O índice de sucesso é de 70% nas formas leves e moderadas, segundo o médico. Nos casos graves, em que o paciente faz mais de 30 apnéias por hora, essa taxa cai.

É por este motivo que os especialistas brasileiros preferem tentar outras alternativas antes de indicar a cirurgia. “A precisão dos exames e do diagnóstico é muito importante para auxiliar na técnica adequada, para que a cirurgia seja realmente efetiva”, diz Woodson.

Para ele, o uso da máscara de plástico que faz uma pressão contínua nas vias aéreas impedindo a obstrução (chamada CPAP) é eficaz “quando a pessoa utiliza a noite toda”. Nos Estados Unidos, afirmou, existe uma resistência cultural à utilização da máscara. Ao contrário do que dizem estudos mais recentes, Woodson afirma que muitos casos podem ser tratados apenas com cirurgia bariátrica ou perda de peso. A gordura acumulada na garganta pode obstruir a passagem de ar.

Hormônios

O presidente do Congresso de Medicina do Sono, o otorrinolaringologista Helio Fernando de Abreu, discorda. Segundo ele, as apnéias provocam um desequilíbrio hormonal que aumenta a fome e reduz a sensação de saciedade do indivíduo, levando-o a engordar. Em sua opinião, a intervenção cirúrgica em 50% dos casos é exagerada. “Tem que escolher muito bem o paciente que vai ser operado, ele tem que ser quase um personagem ideal dos livros de medicina. Nos Estados Unidos existe uma tradição de querer operar tudo e há coisas que a gente sabe que não vai dar certo”, disse.

A apnéia é um distúrbio neuromuscular, que pode ser causado por vários fatores. É mais comum em homens com mais de 40 anos, quando a musculatura da garganta afrouxa e os sensores da mucosa não funcionam tão bem. A obstrução pode estar em qualquer lugar das vias aéreas superiores: na laringe, na faringe, no nariz ou no posicionamento da língua.

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.