Ameaças de morte eram a todo o instante, diz PM

Apesar da violência psicológica, policia diz que não houve agressão física contra as vítimas

Severino Motta, iG Brasília |

Reprodução/GloboNews
Freira passou mal e foi libertada pelos assaltantes
O tenente-coronel Fábio Pizetta, do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), disse nesta tarde que a família que foi feita refém em sua casa em na Asa Sul de Brasília foi constantemente ameaçada de morte pelos dois criminosos que invadiram o local. Apesar do fato, ele destacou que não houve violência física contra os cidadãos.

"Ameaças de morte eram a todo o instante, eram dois homicidas", disse.

Numa coletiva na sede da Polícia Militar, o major Adriano Meirelles disse que após a rendição dos dois bandidos, identificados como Bruno Vieira, de 29 anos e Adelino Porto, de 57, a arma usada para o crime foi encontrada dentro da casa da família - um revólver de calibre 38.

Ele ainda destacou que, no curso do crime, os bandidos teriam usado cocaína e maconha, mas nenhum resto de droga foi apreendido no local. Os criminosos, após a entrega, foram levados para o Hospital Naval e encaminhados para a 1ª DP de Brasília.

As vítimas, que passam bem, também foram encaminhadas para o Hospital e para a 1ª DP, onde devem prestar depoimento.

    Leia tudo sobre: assaltorefénsbrasíliapolícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG