SÃO PAULO (Reuters) - O Amazonas confirmou a primeira vítima por gripe H1N1 no Estado nesta quinta-feira e o número de mortos pela nova doença no país chegou a 422, de acordo com dados compilados a partir de informações das secretarias estaduais de Saúde. A vítima do Amazonas é uma mulher de 58 anos que se enquadrava no grupo de risco por ser obesa, informou a Secretaria Estadual de Saúde. De acordo com o Ministério da Saúde, gestantes, idosos e obesos estão entre os grupos de risco, além de pacientes de outras doenças.

Na terça-feira, o ministério divulgou balanço sobre a nova gripe no país, no qual confirmava 368 mortes até 15 de agosto. Porém, dados atualizados das secretarias estaduais de Saúde contabilizam 422 óbitos.

Segundo o órgão federal, São Paulo é o mais atingido, com 151 óbitos. Rio de Janeiro teve 45 óbitos segundo o ministério, mas a secretaria estadual confirmou à Reuters somente a morte de 43 pacientes.

O Ministério da Saúde considerou que a diminuição do número absoluto de casos graves pelo novo vírus na última semana pode ser um indicativo preliminar de que a doença pode estar recuando no país.

O Brasil segue como o terceiro país com maior número de mortes pela doença no mundo, atrás dos Estados Unidos e da Argentina, mas à frente do México, epicentro da pandemia global da nova gripe.

De acordo com as secretarias estaduais de Saúde, também foram confirmadas mortes no Paraná (119), Rio Grande do Sul (84), Santa Catarina (10), Minas Gerais (6) e Paraíba (2). Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco e Roraima tiveram uma morte cada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.