Prefeito de Manaus decreta estado de emergência

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Nível do rio Solimões atinge a marca de 29,06 metros. Educandos, Glória e São Raimundo são os bairros mais atingidos

Agência Estado

O prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, decretou estado de emergência na capital do Amazonas na noite desta quinta-feira (23), após o nível do rio Solimões na cidade atingir a marca de 29,06 metros, apenas 91 centímetros inferior à cheia histórica registrada em maio do ano passado.

Leia também: 
Cheias no Amazonas deixam 77 mil famílias desalojadas
Chuva deixa 11 cidades do Amazonas em situação de emergência

Os bairros mais atingidos são Educandos, Glória e São Raimundo. Nestes locais, famílias que moram em palafitas já fizeram o que chamam de maromba, ou seja, subiram o piso de madeira de suas casas e elevaram eletrodomésticos e móveis. Ainda não há registro de desabrigados, de acordo com dados da Prefeitura de Manaus.

O nível do Rio Negro na capital também está alto, 9 cm acima da cota de emergência, que corresponde a 28,94 m e apenas 8 cm abaixo do valor registrado em 2009, por ocasião a segunda maior cheia.

No interior do Estado, os rios também continuam subindo. Mas, de acordo chefe de Hidrologia do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Daniel Oliveira, em municípios como Tabatinga e Boca do Acre o nível dos rios está estabilizando. "O que acontece é que a cheia no Amazonas acontece do sul para o norte do Estado. Por isso, em Manaus, o Solimões continuará subindo até junho", afirma.

Leia tudo sobre: manausestado de emergência

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas