Filho é suspeito de mandar matar família após briga por herança em Manaus

Por O Dia |

compartilhe

Tamanho do texto

Três foram presos por envolvimento no triplo homicídio da família Belota. Presos teriam confessado crime e apontaram o filho de uma das vítimas como o mandante; ele nega

Três pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no triplo homicídio da família Belota, na noite desta terça-feira, em Manaus. Eles teriam confessado a participação no crime e apontam ainda o envolvimento do filho da vítima, Jimmy Robert, que nega. O crime era planejado há três semanas.

Violência: Mãe e filho morrem em tentativa de assalto a lanchonete em Porto Alegre

A Maria Gracilene Roberto Belota e a filha dela, Gabriela Belota, de 55 e 26 anos, foram encontradas mortas pela empregada com sinais de estrangulamento, no apartamento da família, localizado no Condomínio Parque Solimões, zona sul de Manaus. O cachorro da família também foi encontrado morto. O animal estava embaixo da cama de Gabriela e foi degolado.

O tio do suposto mandante do crime, Roberval Roberto de Brito, de 63 anos também foi achado morto em outro local, com as mesmas características de crime. De acordo com a polícia, o crime foi motivado devido a uma briga por herança. A mãe era coordenadora-geral de Comércio Exterior da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

"Estavam envolvidos três participantes, incluindo o Jimmy e o namorado dele, Rodrigo", explicou diretor do Departamento da Polícia Metropolitana, Emerson Nogueira, que confirmou a informação junto com o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Roberto Vital.

Apesar de Jimmy negar participação no crime, a polícia aponta o familiar das vítimas como mandante do triplo homicídio. Os três serão indiciados por formação de quadrilha, homicídio qualificado e posse ilegal de arma de fogo, pois foi encontrado com eles um revólver calibre 38.

Leia tudo sobre: homicídioassassinatoherançamanausamazonas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas