Álvaro Dias defende investigação externa sobre mordomo

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) defendeu hoje normas mais rigorosas no Senado para evitar que servidores da Casa venham a exercer funções alheias a seus contratos de nomeação. Ele defendeu igualmente a contratação de uma investigação externa para apurar a denúncia de que o funcionário Amaury de Jesus Machado, o Secreta, trabalha como mordomo na casa da ex-senadora e atual governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB) - como revelou reportagem publicada hoje no jornal O Estado de S.

Agência Estado |

Paulo -, além de as outras irregularidades identificadas nos últimos meses.

Os dados dessa apuração, segundo ele, vão mostrar quais são as medidas imprescindíveis para dar transparências aos atos administrativos do Senado. "É tudo muito estranho, mas como tenho receio de fazer um prejulgamento, aguardarei respostas concretas sobre o que realmente ocorreu", afirmou, referindo-se ao caso de "Secreta". Para o senador, as medidas adotadas até agora pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que criou várias comissões internas para investigar as denúncias de irregularidades, entre elas criação de cargos, nomeações e aumentos salariais por meio de atos secretos, não resolverão o problema de falta de transparência da Casa.

"Tem de ser uma investigação promovida pelo Ministério Público, acompanhamento só não resolve", insistiu. Hoje o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Marinus Marsico, disse que vai pedir informações ao Senado a respeito do desvio de função do servidor Amaury de Jesus Machado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG