Álvaro Dias admite que tomou conhecimento de dossiê antes da publicação

BRASÍLIA - O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) admitiu nesta quarta-feira que tomou conhecimento do dossiê com as contas dos cartões corporativos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso antes de ser divulgado pela imprensa na semana passada. Ele ressaltou, no entanto, que desconhece o autor do vazamento do documento à imprensa.

Agência Brasil |


Um debate duro entre oposição e governistas foi travado nesta quarta no plenário após o anúncio de uma nota publicada no blog do jornalista Ricardo Noblat, de que o parlamentar tucano seria o autor do vazamento do documento.

Ao tomar conhecimento da nota, o senador Tião Viana (PT-AC) pediu a Álvaro Dias que desse explicações sobre o seu conteúdo. O senador tucano afirmou que não discutiria se o documento foi vazado pela oposição.

"Na segunda-feira (31) afirmei que tinha o dossiê. Eu vi e outros viram", disse.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou que a informação de que alguém de dentro do Palácio do Planalto teria retirado informações do banco de dados da Presidência "mostra que o governo foi vítima e não algoz", no episódio.

"Existe [no banco de dados da Presidência da República] material sigiloso e material não sigiloso. Material não sigiloso pode circular a vontade. Material sigiloso não pode circular, é crime. Subtrair esse tipo de informação é espionagem, e o que estamos vendo é que houve espionagem para atacar o governo e atacar politicamente a ministra Dilma [Rousseff, da Casa Civil]", afirmou Jucá.

No debate em torno da questão, os governistas seguiram a mesma linha de Jucá, de que o governo foi vítima de espionagem. Já a oposição, insistia na tese de que o que importa é o conteúdo das informações e não a discussão do autor do vazamento das informações.

Leia mais sobre:   Dilma  - dossiê

    Leia tudo sobre: dossiê

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG