Alunos da Unifesp acampam em frente à universidade após renúncia de reitor

SÃO PAULO - Alguns alunos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) acampam na frente da reitoria da universidade, na zona Sul de São Paulo, desde a madrugada desta terça-feira. Segundo Tiago Cherbo, um dos coordenadores do Diretório Central dos Estudantes (DCE), a vigília deve mostrar que os estudantes estão atentos às decisões do Conselho Universitário. Os alunos foram convocados após a renúncia do reitor da universidade, Ulysses Fagundes Neto, nesta segunda-feira.

Redação |

O DCE convocou uma reunião na noite da segunda-feira, quando o acampamento foi convocado. Entre as reivindicações do movimento está a eleição direta, paritária e imediata de um novo reitor. Uma assembléia para tomar mais decisões deve ser realizada na quarta ou na quinta-feira.

Ulysses Fagundes Neto, acusado de realizar gastos irregulares com o cartão corporativo da Unifesp, pediu demissão nesta segunda-feira. A justificativa para sua saída da reitoria seria maior dedicação à sua defesa.

Nos próximos sessenta dias, a universidade deve convocar eleições para o cargo, que será interinamente ocupado pelo vice-reitor, Sérgio Tuffic. Em nota, o Ministério da Educação reforça esperar que, no prazo regimental, a instituição indique o nome do novo reitor de acordo com os princípios da autonomia universitária.

Denúncias

As denúncias dão conta de que, durante a Copa do Mundo de 2006, Fagundes Neto teria feito duas compras no valor de R$ 2.200 em lojas de material esportivo, em Berlim, na Alemanha. Já em viagem aos Estados Unidos no mesmo ano, ele teria gasto R$ 2 mil em uma loja de computadores e outros R$ 3.100 em um hotel na Disney. Um ano depois, o reitor teria gasto R$ 2 mil em uma loja de malas em Miami e aproximadamente R$ 3 mil em uma loja de produtos eletrônicos.

Em sua defesa, Fagundes Neto declarou, no início do ano, que as viagens foram autorizadas. Mas reconheceu que teve de devolver o equivalente a R$ 11.846, 38 de uma fatura de R$ 45.375,57.

Em 2007, dos R$ 40.133,05 gastos com o cartão corporativo, já tinham sido devolvidos pelo reitor R$ 27.270,28. Os outros R$ 12.862,77 foram devolvidos entre os dias 8 e 15 de abril de 2008.

Leia mais sobre: Unifesp

    Leia tudo sobre: unifesp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG