Alunos que buscam matrícula na Universidade Paulista (Unip), em São Paulo, por meio de vagas no Programa Universidade para Todos (ProUni) passaram a madrugada de ontem na fila. Eles foram convocados para entregar a documentação exigida pelo programa, criado pelo governo federal para conceder bolsas parciais e integrais a estudantes carentes.

A Unip, porém, centralizou o cadastro das bolsas dos seus 11 câmpus da Grande São Paulo na unidade Indianópolis, zona sul da capital.

Quem chegou depois das 5 horas não conseguiu senha para ser atendido. Houve confusão e a Polícia Militar foi chamada. Hoje é o último dia para a inscrição. Segundo o vice-reitor de planejamento, administração e finanças, Fábio Romeu de Carvalho, a Unip oferece 4.448 bolsas do ProUni na Grande São Paulo. Ele atribui os problemas ao aumento de mais de 150% no número de vagas destinadas ao programa. No ano passado, eram 1.730. “No ano passado, o número de matrículas superou as expectativas. Para compensar as vagas do ProUni que não foram abertas em 2008, oferecemos mais este ano.”

A Unip atendeu cerca de 3.550 pessoas até anteontem, segundo Carvalho. “Mas muitos esquecem algum papel e, por isso, precisam retornar”, afirma o vice-reitor. Em média, 250 senhas foram distribuídas diariamente para quem precisava completar a documentação. Mesmo assim, muita gente voltou para casa sem ser atendido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.