Alternativas saudáveis para a reposição hormonal na menopausa

Hormônios com estrutura molecular igual a dos produzidos pelo corpo da mulher estão ganhando espaço

Agência Estado |

selo

A Terapia de Reposição Hormonal (TRH) para mulheres que alcançam a menopausa tem sido objeto de muitos estudos e controvérsias. Muitas optam pela reposição hormonal com hormônios sintéticos, medicamentos que não são feitos de plantas, o que pode aumentar o risco de certos problemas de saúde e o aumento do risco de doenças.

Os hormônios bioidênticos, estrógenos feitos de plantas, por outro lado, têm a composição exata dos produzidos pelo corpo da mulher e são largamente difundidos pela Medicina Preventiva Anti-aging, uma nova especialização mundial que entra para detectar, prevenir, curar ou reverter o processo do envelhecimento, e suas consequências através de práticas e tratamentos preventivos de doenças causadas pelo desequilíbrio hormonal.

Eles são feitos em farmácia de manipulação, com estrutura química e molecular exatamente igual à dos produzidos pelo organismo e feitos sob medida para cada paciente. O histórico dos bioidênticos tem mais de 20 anos. Depois que a terapia de reposição hormonal com hormônios sintéticos para mulheres na menopausa foi colocada na berlinda, em 2002, por um estudo que a associou ao aumento dos riscos de enfarte, derrame e câncer de mama, eles, os hormônios manipulados, voltaram à ordem do dia - e com a denominação de bioidênticos.

A Medicina Preventiva Anti-Aging tem o diferencial de integrar terapias metabólicas, com hormônios bioidênticos, reposição de nutrientes, controle do stress, plano alimentar individualizado e atividades físicas. É uma nova e profunda quebra de paradigma na maneira de se tratar as doenças humanas.

Lembrando que os hormônios não caem porque nós envelhecemos, mas nós envelhecemos porque há um desequilíbrio na produção de hormônios. Existem exames de sangue para detectar baixos níveis de determinados hormônios ou excesso deles, colesterol alto, análise dos hormônios da tireóide, do crescimento, testosterona, estrogênio, melatonina, quantidade de nutrientes no sistema sanguíneo, tudo isso faz parte do dia-a-dia da medicina preventiva anti-aging, baseada especificamente na detecção precoce de doenças e prevenção do envelhecimento.

Cerca de 90% das doenças em adultos são consequência do processo de degeneração causado pelo envelhecimento. Isso inclui tanto as condições estéticas como aumento de peso, rugas e sulcos, como doenças do coração, cânceres, diabetes, obesidade, stress crônico, pressão alta, osteoporose, hipotireoidismo, doenças auto-imunes, glaucoma e o Alzheimer.

* Dr. Ricardo Vallejos é diretor médico da Clínica RenuLife, Geriatra com experiência em medicina anti-aging e membro da World Society Of Anti-Aging Medicine (França) e World Academy of Anti-Aging Medicine (EUA) e membro da Sociedade Longevidade Saudável (Brasil).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG