Arqueólogos descobriram um altar maia que data de 200 a 300 anos antes da era cristã, no parque nacional Takalik Abaj, em El Asintal, Retalhuleu, 196 km ao sul da capital da Guatemala.

"Em sua superfície, tem uma tartaruga esculpida, cujo desenho é olmeca, e dentro dela está representado um personagem com tanga e cocar maia, sentado em seu trono, com as pernas cruzadas", informou à imprensa local Christa Schieber, diretora dos trabalhos arqueológicos.

De acordo com Schieber, o altar, que foi descoberto dia 10 de março, mas divulgado apenas esta semana, pode fornecer dados do fundador dessa dinastia, assim como o nome original da cidade.

O diretor desse parque arqueológico, Miguel Orrego Corzo, explicou ao jornal "Prensa Libre" que o altar tem 1,20 m de largura, por 1,50 de altura e cerca de 40 centímetros de espessura, e sua data remonta, presumivelmente, a 300-200 anos a.C.

"Se esse altar tivesse sido encontrado em Petén, não teria sido notícia, mas encontrá-lo na costa é todo um acontecimento para o mundo arqueológico, porque pode provar que a cultura maia nasceu na costa sul", frisou Orrego.

rz/tt/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.