A alta do preço do petróleo preocupa o presidente da Embraer, Frederico Curado. Adotamos uma postura de cautela.

Se a alta persistir, afetará a capacidade de compra das companhias mais à frente", afirmou durante a feira de Farnborough, no Reino Unido. Apesar da atitude de precaução, Curado diz que a Embraer não está vivendo uma crise, como a do pós-11 de setembro. A meta de entregas de 315 a 350 aviões em 2009 está mantida. As informações são do O Estado de S. Paulo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.