Alimentos chineses contaminados não chegaram ao Brasil, afirma Anvisa

Com base na informação do Ministério da Agricultura e Abastecimento de que o Brasil não mantém comércio bilateral de produtos lácteos com a China, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou que leite chinês contaminado com melamina não foi utilizado na produção de alimentos no País. O Ministério também afirmou que não existe empresa fabricante de produtos lácteos naquele país habilitado para o comércio destes produtos com o Brasil.

Agência Estado |

A Anvisa, entretanto, afirmou que irá intensificar a fiscalização de entrada das cargas provenientes da China no País, além de já ter questionado as indústrias brasileiras quanto ao uso da matéria-prima chinesa contaminada nos alimentos nacionais. Todo o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária também foi alertado para qualquer notificação de ocorrência de casos relacionados a essa adulteração. No site da Anvisa há um informe técnico e um questionário sobre o caso.

Foram relatados mais de 50 mil casos de pedras nos rins em bebês, relacionados ao consumo de fórmula infantil em pó contaminada por melamina na China. Essa substância é um composto químico de uso industrial utilizado na produção de laminados, colas, utensílios de cozinha, adesivos, compostos de revestimentos, dentre outros.

Segundo a Agência Nacional de Inspeção chinesa, a melamina foi encontrada em alguns produtos dos 22 fabricantes de leite inspecionados naquele país. Além do leite líquido, a contaminação foi encontrada em sobremesas congeladas de iogurte e em uma bebida de café enlatada. A Agência chinesa não confirma a contaminação em produtos exportados. As informações são da Anvisa.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG