SÃO PAULO (Reuters) - Os preços de alimentos voltaram a apresentar queda e os do cigarro diminuíram a alta, fazendo a inflação ao consumidor em São Paulo desacelerar mais que o esperado na leitura do início de junho. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo subiu 0,23 por cento na primeira quadrissemana deste mês, abaixo do avanço de 0,33 por cento registrado em todo o mês de maio, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta terça-feira.

Analistas consultados pela Reuters esperavam taxa de 0,29 por cento para a quadrissemana, de acordo com a mediana de 10 estimativas que variaram de 0,27 a 0,30 por cento.

Os preços do grupo Alimentação tiveram variação negativa de 0,11 por cento na abertura do mês, após subirem 0,07 por cento em maio.

Os de Despesas Pessoais, que estão refletindo o reajuste dos cigarros concedido pelo governo, registraram elevação de 0,94 por cento, ante alta anterior de 1,68 por cento.

Os custos de Transportes aceleram ligeiramente o ritmo de queda, para 0,17 por cento na primeira quadrissemana de junho, ante baixa de 0,12 por cento em maio.

Por outro lado, os preços de Saúde subiram mais, em 0,81 por cento no início deste mês, contra avanço anterior de 0,75 por cento.

O IPC da primeira quadrissemana de junho mediu os preços de 8 de maio a 7 de junho.

O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo de famílias com renda até 20 salários mínimos.

(Por Vanessa Stelzer)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.