O parecer da deputada estadual e presidente do PSDB no Rio Grande do Sul, Zilá Breitenbach, pelo arquivamento do pedido de abertura de processo de impeachment da governadora Yeda Crusius (PSDB) foi apresentado hoje ao plenário da Assembleia Legislativa. A leitura feita por Nelson Härter (PMDB) e Cassiá Carpes (PTB) servia apenas para cumprir o ritual e foi acompanhada por poucos deputados diante de galerias quase vazias.

O texto já foi aprovado pela comissão especial que tratou do assunto na quinta-feira e será votado em plenário no dia 20. Como os aliados do governo têm maioria de 34 a 20, é certo que rejeitarão a proposta de afastamento, feita pelo Fórum dos Servidores Públicos Estaduais (FSPE), que apontou suspeitas de participação da governadora na fraude do Detran, sempre negadas por Yeda.

Tanto no parecer quanto nas entrevistas que tem dado, Zilá sustenta que não há justa causa para a abertura do processo e destaca que Yeda é, no máximo, citada eventualmente por terceiros sem que haja prova concreta de seu envolvimento com irregularidades.

Inconformada, a oposição promete elaborar um relatório paralelo no qual vai expor os motivos pelos quais acredita que o processo devia seguir para a etapa seguinte, de instrução, na qual acusadores e a governadora poderiam apresentar seus argumentos e provas para esclarecer os fatos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.