Alerj escolhe deputados que formarão a CPI das milícias

RIO DE JANEIRO ¿ O presidente da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), o deputado Jorge Picciani (PMDB), definiu nesta sexta-feira os nomes dos deputados que irão formar a CPI das milícias. São eles: Marcelo Freixo (Psol), que será o presidente, Gilberto Palmares (PT), o relator, Paulo Melo (PMDB), Pedro Paulo (PSDB), João Pedro (DEM), André Corrêa (PPS) e Paulo Ramos (PDT), todos membros efetivos.

Redação |

O presidente da CPI, o deputado Marcelo Freixo (Psol), também é o autor do projeto de resolução 626/08, que criou a comissão.

Essa ação é uma resposta do Legislativo à grave crise do poder público no Rio. As milícias são uma ameaça ao estado democrático de direito. O Parlamento não pode permitir tamanha ousadia desse verdadeiro estado paralelo que é o crime organizado e que se estabelece dentro da administração pública para atender interesses privados, declarou o líder do Psol na Alerj.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Alerj destinada a investigar a ação das milícias deverá ter sua primeira reunião na próxima semana.

Entrarei em contato com os outros membros da comissão para definir o melhor dia para nos reunirmos, mas acredito que teremos nossa primeira reunião na terça (17/06) ou na quinta (19/06), explicou Freixo.

O ponto de partida para a criação da CPI foi dado com a aprovação do projeto de resolução por unanimidade, em discussão única, no plenário da Alerj, na última terça-feira. Após a instalação, a CPI terá o prazo de 90 dias, prorrogáveis por mais 60, para concluir o seu trabalho, que se encerra com a votação do relatório em plenário. A comissão tem poderes mais amplos que a polícia na apuração dos fatos, podendo, inclusive determinar quebra de sigilos telefônico, bancário e fiscal de investigados.

Leia mais sobre: milícias no Rio de Janeiro

Veja também:

    Leia tudo sobre: alerjcpimilíciasrio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG