Alerj cassa mandato de ex-chefe da polícia civil do Rio

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O deputado estadual e ex-chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro Álvaro Lins (PMDB) foi cassado por quebra de decoro pelo plenário da Assembléia Legislativa (Alerj) com a quantidade exata de votos necessários, 36. Dos 70 deputados estaduais da Alerj, 63 estavam presentes à sessão que teve votação secreta em cédula. A cassação de Lins foi decidida no último voto apurado. No total, 36 deputados foram favoráveis à cassação, 24 contrários e 3 se abstiveram.

Reuters |

Álvaro Lins foi indiciado pela Polícia Federal por formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e descaminho. Ele teria operado uma organização criminosa que usou a estrutura da Polícia Civil do Rio de Janeiro para cometer os crimes.

O agora ex-deputado acompanhou a votação do plenário e fez discurso se dizendo vítima de perseguição da Polícia Federal e da imprensa.

'Foi uma vitória do Estado democrático e de direito. Essa foi uma votação simbólica para a Alerj e sem dúvida melhora a imagem da Casa', disse o deputado Marcelo Freixo (PSOL).

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; texto de Mair Pena Neto)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG