O senador Romeu Tuma (PTB-SP) deixou o Hospital Sírio-Libanês após visita ao vice-presidente José Alencar demonstrando bastante otimismo. Tuma disse que o José Alencar exige ter alta até quarta ou quinta-feira para poder retomar suas funções em Brasília.

Tuma afirmou que Alencar já caminha pelo quarto e isso seria um indicativo de que sua recuperação vai bem. Ele disse que não conversou com Alencar sobre política.

Após cerca de 40 minutos de visita, Tuma deixou o quarto quando padre Marcelo Rossi chegou. "Preferi deixá-lo com Deus", brincou.

Na quinta-feira, Alencar foi submetido a uma cirurgia para desobstrução intestinal e retirada de dez tumores da região abdominal. Ontem, ele foi transferido da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Cardiológica para um quarto.

Raul Cutait, um dos médicos da equipe que cuida do vice-presidente, afirmou pela manhã que Alencar recupera-se dentro do esperado diante de uma cirurgia grande e extensa - de seis horas -, apresentando um pós-operatório mais lento que o normal. Ele evitou dar prazo para alta do paciente. De modo geral, Alencar tem bom ânimo e muita vontade de se recuperar, segundo o médico.

Os tumores que foram retirados estão sendo analisados para ajudar a atender o que está acontecendo com o paciente, afirmou Cutait, sem dar prazo para a apresentação dos resultados.

Luta contra o câncer

Alencar luta contra o câncer há 12 anos. Em 25 de janeiro, o vice-presidente submeteu-se à mais radical intervenção desde a descoberta da doença. Em uma cirurgia de alto risco, com duração de 18 horas, os médicos retiraram tumores do abdome do paciente. Ele ficou 27 dias internado, nove deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Em 12 de maio, exames de acompanhamento mostraram a volta de tumores na região abdominal. Alencar resolver então submeter-se a um tratamento experimental nos Estados Unidos.

Leia mais sobre: José Alencar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.