Um estudo de especialistas da Universidade de Malmo, na Suécia, sugere que mulheres que amamentam por mais de um ano têm reduzidas pela metade as chances de desenvolver artrite reumatóide. Na pesquisa, os cientistas compararam 136 mulheres com artrite com 544 sem o problema.

Eles perceberam que as que haviam amamentado por 13 meses ou mais tinham metade das chances de desenvolver a doença em relação às que nunca haviam praticado o aleitamento materno. As mulheres que haviam amamentado durante um ano tiveram 25% menos riscos de desenvolver artrite, acrescentaram os especialistas. A artrite é doença auto-imune que ocorre quando o corpo ataca as articulações, confundindo-as com corpos estranhos. O problema afeta mais mulheres do que homens.

Segundo os cientistas, a amamentação libera grande quantidade do hormônio oxitocina, que pode reduzir os níveis de estresse, controlar a pressão sanguínea e proporcionar sensações de bem-estar. Os pesquisadores afirmam que estudos anteriores mostraram que as mulheres têm mais chances de desenvolver artrite logo após dar à luz e, diante dos últimos resultados, acreditam que os riscos são reduzidos com a prática da amamentação e o passar do tempo.

Os cientistas não souberam, no entanto, apontar as razões para essas conclusões. "Uma explicação poderia ser de que as mulheres que amamentam levam vidas mais saudáveis. Mas ainda não sabemos com certeza os mecanismos que explicam os benefícios da amamentação a longo prazo contra a artrite", disseram os especialistas. As informações são do Jornal da Tarde

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.