Alckmista pede investigação no PSDB e kassabista ironiza acusação

SÃO PAULO - Às vésperas da convenção que vai definir se o PSDB terá ou não candidato próprio à Prefeitura de São Paulo, tucanos adeptos de Geraldo Alckmin (PSDB) pedem investigação sobre supostas irregularidades no partidos cometidas pelos simpatizantes de Gilberto Kassab (DEM) _que ironizam as acusações.

Mariana Sant Anna e Juliana Simon, da redação |


O episódio mais recente gira em torno de uma suposta tentativa de compra de votos, dentro do PSDB, que favoreceria Kassab, publicado na tarde desta quinta-feira pelo site da revista "Época".

Pedro Vicente, do diretório Jardim São Luís, Ana Angélica Dias, de Cidade Ademar, e mais uma delegada tucana afirmaram à revista que foram procurados com uma oferta de suborno para que apoiassem a retirada da candidatura Alckmin em prol de Kassab na convenção tucana, que acontece neste domingo.

Segundo a reportagem, todos disseram ter recebido telefonemas de um homem identificado como Marco Aurélio da Silva, que teria oferecido cargos na prefeitura e quantias em dinheiro entre R$ 25 mil a R$ 100 mil.

O vice-líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Sílvio Torres, afirmou ao iG nesta quinta-feira que pediu que o partido investigue as acusações. Ele afirma que soube da suposta irregularidade pelo site da revista. Segundo o deputado, "o fato é gravíssimo", de um "comportamento inaceitável" e que, por isso, o partido deve iniciar uma investigação".

"Haverá uma repercussão forte dentro e fora do partido, mas independente disso confiamos na escolha do partido por um candidato próprio", disse Torres.

Segundo a assessoria de Alckmin, o ex-governador disse nesta quinta no diretório municipal que soube de outras acusações e que considera que "esta prática deveria ter sido banida da política há muito tempo". Ao mesmo tempo, declarou que se deve "passar por cima disso" e priorizar sua candidatura.

Um dos líderes da ala kassabista dentro do PSDB, o vereador Gilberto Natalini demonstrou irritação ao comentar as acusações. Ele afirmou que desconhece qualquer tentativa de suborno e que o caso deve ser levado à polícia. Isso parece desespero de quem vai perder, ironizou.

Natalini afirmou que estranha a acusação sem provas e garantiu estar disposto a conversar com a ala alckmista do partido para que o caso seja resolvido pela polícia. Não trabalhamos dessa forma, disse.

Segundo o vereador, as duas alas tucanas se reuniram nesta tarde e entraram em acordo sobre a convenção. Natalini afirmou que a convenção acontecerá na maior civilidade possível.

Disputa interna

O PSDB enfrenta uma disputa interna em torno da eleição municipal deste ano. Uma ala dentro do partido acredita que deve ter um candidato próprio e apóia o ex-governador Geraldo Alckmin. Outra ala, formada principalmente por vereadores e secretários do governo municipal, defendem que o PSDB deve se manter aliado ao DEM e apoiar a candidatura de Kassab. As duas alas inscreveram chapas para a Convenção Municipal deste domingo.

Leia mais sobre: PSDB

    Leia tudo sobre: psdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG