Alckmin assume secretaria e evita declarar apoio para 2010

SÃO PAULO - Em uma tentativa de demonstrar unidade entre os tucanos, o ex-governador Geraldo Alckmin tomou posse nesta segunda-feira da Secretaria de Desenvolvimento do Estado. Cercado por políticos alckmistas, pelo governador José Serra e pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, Alckmin preferiu evitar um apoio direto para as eleições presidenciais de 2010.

Reuters |

"Nosso apoio em 2010 independe de ser secretário ou não ser secretário. Nós somos secretários para cumprir uma tarefa, uma missão", disse Alckmin a jornalistas referendo-se à pretensão de Serra de concorrer à Presidência da República em 2010.

Ele também foi vago ao afirmar que "a melhor maneira de construir um cenário melhor em 2010 é um bom governo. É isso que o governador Serra está fazendo e é por isso que estamos aqui".

Fernando Henrique não discursou nem deu entrevista, enquanto Serra disse em discurso que Alckmin demonstrou humildade ao assumir o posto.

"Convenhamos, alguém que foi por cinco ou seis anos governador de São Paulo, nosso candidato à Presidência da República, com votação tão elevado, vir para trabalhar numa secretaria de governo é um gesto que revela humildade, que revela, acima de tudo, espírito público e vontade de colaborar com São Paulo", afirmou Serra ao mencionar que Alckmin governou o Estado de São Paulo de 2001 a 2006.

Questionado sobre a reação do governador de Minas Gerias, Aécio Neves, que disputa com Serra a indicação do partido para eleição de 2010, Alckmin defendeu a união do partido em São Paulo.

"Entendo que o PSDB de São Paulo estando ainda mais fortalecido e mais unido é bom para o Brasil", afirmou Alckmin ao relatar que conversou por telefone com Aécio, seu aliado no PSDB até agora.

Alckmin disputou com Serra dentro do PSDB por duas vezes, na eleição de 2006 para ser o candidato a presidente pelo partido e no ano passado para prefeitura da capital paulista, quando o governador defendia o apoio à candidatura do prefeito Gilberto Kassab (DEM). Nas duas vezes Alckmin concorreu e saiu derrotado.

O vice-governador Alberto Goldman, que ocupava a secretaria do Desenvolvimento, trocou o nome de Alckmin por Geraldo Kassab, como já tinha feito na campanha eleitoral de 2008.

Kassab também estava presente na posse de Alckmin.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: alckmin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG