Alagoas fará sessão de júri popular dentro de prisão

Numa iniciativa pioneira no País, o Poder Judiciário de Alagoas irá realizar um julgamento dentro de uma unidade do complexo prisional, que fica vizinho ao campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), na periferia de Maceió. O júri popular, marcado para a próxima terça-feira, será presidido pelo juiz da 9ª Vara Criminal, Geraldo Cavalcante Amorim.

Agência Estado |

A sessão ocorrerá na sede da Diretoria de Unidades Penitenciárias (DUP), ao lado do presídio Rubens Quintela.

De acordo com Amorim, a iniciativa deverá representar para o Judiciário a economia de recursos com o deslocamento de réus presos, além de garantir a segurança dos agentes penitenciários envolvidos com o transporte de detentos e diminuir os riscos de fuga e atentados contra os presidiários. Os jurados que vão atuar na sessão de julgamento serão transportados em veículos do Tribunal de Justiça de Alagoas. O sorteio e a escolha dos integrantes do júri ocorrerá no local do julgamento, na presença de todos.

O réu, José Márcio da Silva, conhecido por Índio, será julgado por homicídio. Ele é acusado de ter assassinado com um tiro Carlos Alberto Ribeiro Macedo, em 2006, no Vale do Reginaldo. O mesmo réu é processado por outro homicídio e tem um segundo julgamento marcado para o próximo dia 22, também na 9ª Vara Criminal. Para a sessão de julgamento no complexo prisional são esperadas diversas autoridades, entre as quais a presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento. O representante do Ministério Público Estadual no júri será o promotor de Justiça Antônio Luís dos Santos Filho.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG