Agripino: oposição buscará solução para impasse na CPI

O líder do DEM no Senado, Agripino Maia (RN), anunciou hoje que seu partido e o PSDB farão entendimento para eliminar possíveis pretextos que impeçam a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. Vamos buscar a equação e a solução desse problema para que, na próxima semana, ou nos próximos dez dias, não perdure pretexto nenhum para que não se instale o processo de investigação da CPI da Petrobras, afirmou ele, em plenário.

Agência Estado |

Agripino Maia lembrou que o obstáculo apontado pela base do governo para a instalação da comissão é o fato de estarem com senadores da oposição os cargos de presidente e relator da CPI das Organizações Não-Governamentais (ONGs). Hoje, pela terceira vez, a sessão de instalação da CPI da Petrobras foi adiada em decorrência de manobra da base aliada de não comparecer à sala da sessão, para não dar quorum.

"Queremos saber o que há de errado com a Petrobras", disse Agripino, comentando que a simples aprovação do requerimento de criação da CPI para investigar a estatal já resultou na criação de um blog e na contratação de um serviço terceirizado de comunicação da empresa.

Para que a CPI fosse instalada hoje, era necessária a presença de, no mínimo, seis senadores na sessão, mas só quatro apareceram - três da oposição e o senador governista Paulo Duque (PMDB-RJ). Cabe ao peemedebista, por ser o mais idoso integrante da CPI, presidir a sessão em que serão escolhidos o presidente e o relator. Há 25 dias, o requerimento de criação da CPI foi apresentado à Mesa Diretora do Senado. Duque não marcou data para uma nova tentativa de instalação da CPI.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG