Agenda: Câmara dos Deputados discute fusão Sadia/Perdigão

A fusão entre Sadia e Perdigão, que resultou na criação da BRF Brasil Foods, será discutida nesta terça-feira (25), a partir das 14h30, no plenário 6 da Câmara dos Deputados. Depois da aprovação, nesta semana, da incorporação das ações da Sadia pela Perdigão, a conclusão do processo de fusão das duas empresas só precisa de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Agência Estado |

A audiência foi solicitada por três comissões: Agricultura; Desenvolvimento, Indústria e Comércio e Defesa do Consumidor.

Foram convidados para o debate o vice-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Armando Mariante Carvalho; o conselheiro relator do processo de fusão no Cade, Paulo Furquim; o presidente da Perdigão, José Antônio Prado Fay; o diretor-presidente da Sadia, Gilberto Tomazoni; o presidente do Sindicato dos Avicultores do Distrito Federal, Luiz Gonzaga Rodrigues Lopes, e o conselheiro para mercado da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Rubens Valentini.

O debate foi proposto pelos deputados Assis do Couto (PT-PR), Leandro Sampaio (PPS-RJ) e Arnaldo Jardim (PPS-SP). Assis do Couto argumenta que é importante a sociedade saber o que representa essa fusão. "Um negócio desse tamanho tem impacto sobre milhares de produtores que trabalham com frango, suínos, leite. E não há uma legislação específica que proteja essa relação. Também haverá um grande impacto sobre milhares de trabalhadores nas fábricas, no mercado de alimentos no Brasil e na concorrência no setor".

Leandro Sampaio adverte que é preciso avaliar o impacto da fusão na concentração de mercado. Ele informa que a Brasil Foods terá por exemplo, 90% do mercado de massas prontas e quase 70% do de pizzas semiprontas. "A grande preocupação é a implicação desta fusão em pequenas empresas do setor". Outra dúvida dos parlamentares, segundo Sampaio, é o volume de recursos públicos envolvidos na operação.

Os efeitos da concentração de mercado gerada pela fusão entre a Sadia e a Perdigão, com a constituição da indústria alimentícia Brasil Foods, ainda estão sendo avaliados. A decisão das duas empresas ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG