Afastado procurador do AM acusado por morte de colega

O Conselho Nacional do Ministério Público em Brasília decidiu hoje, por unanimidade, afastar da função o procurador de Justiça do Amazonas Vicente Cruz Oliveira, acusado de ter mandado matar seu colega, hoje ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Campbell Marques. Com a decisão, o ex-procurador-geral de Justiça do Amazonas fica em disponibilidade, mas tem direito a salário proporcional ao tempo em que atuou no Ministério Público Estadual, cerca de R$ 21 mil mensais.

Agência Estado |

O processo administrativo disciplinar julgado pelo Conselho é relativo a várias irregularidades cometidas por Cruz, como o suposto desvio de R$ 1,2 milhão dos cofres do Ministério Público e a tentativa de assassinato de Campbell. Cabe recurso à decisão ao Conselho e ao Supremo Tribunal Federal (STF). O advogado de Cruz, Fábio Agostinho da Silva, foi procurado pela reportagem, mas não retornou os telefonemas.

Segundo a assessoria do Conselho, ainda há um processo administrativo contra Cruz. De acordo com informações da assessoria, o Conselho não tem poderes para demitir Cruz. O que o órgão pode fazer é propor essa medida ao Procurador-Geral de Justiça do Amazonas, Evandro Paes de Farias. Em 2005, durante quase sete meses, Cruz teria desviado os recursos.

Também foram denunciados por participação no esquema a ex-diretora de Orçamento e Finanças do Ministério Público do Amazonas, Helena Fiúza do Amaral Souto, Wilson Batista Campos e Benedito de Souza Gomes. Segundo a denúncia do Ministério Público, Cruz teria usado o dinheiro desviado com reformas em sua casa, viagens da família, festas para parentes e doações a igrejas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG