Aeronáutica investiga turbulência em voo da TAM que deixou 21 feridos

SÃO PAULO - O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão de prevenção do Comando da Aeronáutica, iniciou a investigação do incidente ocorrido com avião da TAM, que deixou 21 feridos na noite desta segunda-feira.

Redação com Agência Estado |

De acordo com a assessoria de imprensa da Aeronáutica, o trabalho do Cenipa tem como único objetivo a prevenção de acidentes e incidentes, com a elaboração de recomendações de segurança.

AE
Passageira do voo 8095 deixa o Hospital Geral de Guarulhos

De acordo com a TAM, o voo JJ 8095 enfrentou problemas com uma turbulência cerca de 20 minutos antes do pouso que teria acontecido, normalmente, às 19h35 de segunda-feira.

Uma turbulência ocorre quando há movimentos irregulares e instantâneos no ar e pode ser causada por correntes térmicas, variação da temperatura e pressão ou pela velocidade do vento.

Passageiros informaram que foi pedido que eles usassem o cinto de segurança apenas minutos antes da turbulência. Sobre isso, a assessoria da TAM disse que não pode se manifestar por causa das investigações.

Ainda segundo a empresa, o avião havia decolado de Miami às 12h11 (horário de Brasília), com 154 passageiros a bordo. Na hora da turbulência, houve pânico no avião. Segundo um dos passageiros, as pessoas terminavam a refeição na aeronave quando houve a queda de altitude. "Uma senhora de mais de cem quilos do meu lado bateu na parte mais alta do avião e caiu. Ela não conseguia se mexer", contou.

Outra passageira relatou que foi ajudada na hora do acidente: "eu senti aquela pressão, subi, desci e caí, aí as pessoas me seguraram e as malas caíram em cima da cabeça da gente. Terrível, parecia filme de terror".

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a TAM enviou para o órgão um relatório do incidente, no qual informa que não foi constatado nenhum erro operacional ou defeito na aeronave, e que a turbulência ocorreu durante a descida, em "condições normais de voo".

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) ainda não se pronunciou sobre o caso.  

Feridos

Dois dos 21 passageiros que ficaram feridos no incidente seguem internados em hospitais de São Paulo. Treze dos feridos foram liberados já no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Outros oito foram encaminhados com fraturas para hospitais da região - sendo que seis receberam alta.  Dos dois que ainda estão internados, um está no Hospital Albert Einstein. Segundo a assessoria do hospital, o paciente Francisco Celestino Garcia Junior, de 59 anos, teve fraturas de fêmur e ombro esquerdo.

Junior passará ainda nesta terça-feira por uma cirurgia para correção da fratura do fêmur e fará tratamento para correção da fratura do ombro.  Ainda não há previsão de alta.

Outra passageira, Ana Maria B. Lima, que está no Hospital Oswaldo Cruz, sofreu fratura de fêmur e coluna e será submetida à cirurgia após exames e análise das condições clínicas. De acordo com o boletim médico divulgado nesta tarde,  Ana Maria não sofreu déficit neurológico e segue em estado estável desde que chegou ao hospital.

De acordo com a TAM, nesta terça-feira, uma passageira menor de idade, que já estava em casa, em Ribeirão Preto, sentiu dores e foi examinada num hospital da cidade, com diagnóstico de fratura. A empresa aérea informou que ela também está recebendo assistência, sendo acompanhada por um funcionário da companhia.

Turbulência fere 21 pessoas em voo da TAM:

Leia mais sobre: acidente aéreo

    Leia tudo sobre: acidenteacidente aéreo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG