Aécio volta a cobrar definição sobre candidatura tucana

Um dia depois da manifestação dos presidentes de diretórios regionais do PSDB, o governador de Minas, Aécio Neves, reforçou nesta quinta-feira a cobrança por uma definição do candidato tucano à Presidência em dezembro deste ano ou no máximo em janeiro de 2010.

Agência Estado |

AE
Aécio Neves

Aécio cobrou definição sobre candidatura do PSDB

Aécio disse que percebe uma "certa ansiedade" entre os aliados nas viagens que tem feito pelo País.

"Os entendimentos regionais, estaduais, eles dependem de alguma forma de uma palavra do eventual futuro presidente da República, pelo menos na expectativa dos nossos companheiros. E, portanto, isso tem feito falta", afirmou o governador, em Juiz de Fora (MG), onde visitou o ex-presidente Itamar Franco (PPS).

Em uma reunião em Brasília na quarta-feira, a maioria dos presidentes dos diretórios regionais do partido defendeu o mês de janeiro como data limite para a escolha do presidenciável tucano.

Aécio disputa a indicação com o governador de São Paulo, José Serra, que lidera as pesquisas de intenção de voto e quer que o anúncio seja feito somente em março.

O governador mineiro não considerou como uma vitória pessoal a avaliação dos dirigentes regionais do partido, que temem que a demora no processo inviabilize negociações para alianças nos Estados.

Ele disse que respeita a decisão de Serra, mas voltou a afirmar que após o prazo que estabeleceu, caso não consiga se viabilizar como candidato à Presidência, irá se dedicar "muito e profundamente" à sua sucessão em Minas Gerais.

"Não sou um ser isolado na política. Eu represento um conjunto de forças. O que tenho buscado apresentar ao meu partido são alternativas. Alternativas de uma candidatura que pode, eventualmente, acoplar algumas outras forças políticas para o embate que não será fácil", ressaltou Aécio.

Pela manhã, o governador fez uma visita a Itamar, vice-presidente do PPS e um dos seus principais aliados, que se recupera de uma cirurgia na próstata.

"O presidente Itamar será um ator importante no processo eleitoral futuro. Em que posição, o tempo é quem vai dizer", observou. O ex-presidente é cotado para compor chapa como vice no caso de Serra ser o candidato tucano.

ICMS

Em Juiz de Fora, Aécio assinou decreto que reduz a carga do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para investimentos na região da Zona da Mata mineira. Aécio atendeu a apelos de Itamar, outros políticos locais e empresários, contrariados com uma lei estadual (4.533/2005) do Rio de Janeiro que reduziu, por 25 anos, de 19% para 2% o ICMS de empresas que se instalem em municípios do Estado.

"Tomei uma decisão política de reação", afirmou o mineiro. "Não podíamos permitir que empresas deixassem de se instalar na região da Zona da Mata, em Juiz de Fora em especial, e que outras fossem pro outro lado da fronteira, para o Rio de Janeiro".

O governador disse que optou pela política agressiva de incentivos para garantir o desenvolvimento da região da Zona da Mata. "A guerra fiscal não é o melhor caminho. Ela tem sido perversa ao longo do tempo para com os Estados e para com as próprias empresas", ressaltou. "Estou dando o mesmo tratamento fiscal que o Rio de Janeiro tem dado às empresas que lá se instalam, de 2% de ICMS".

Leia também:


Leia mais sobre eleições

    Leia tudo sobre: aécio neveseleiçõeseleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG