O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse hoje que o governador paulista e virtual presidenciável tucano, José Serra, é o candidato mais preparado para presidir o País e enfrentar os problemas graves que advirão do alargamento irresponsável dos gastos públicos na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. É um homem absolutamente preparado para esse desafio de presidir o País no momento em que as coisas não serão tão fáceis como parece agora.

Nós teremos problemas graves de déficit em conta corrente, um alargamento irresponsável dos gastos públicos sem qualquer contrapartida na prestação de serviços", disse, durante visita à cidade de Poços de Caldas, no sul de Minas.

Aécio aumentou o tom das críticas ao governo Lula e assegurou que não será um "fator de divisão" no ninho tucano. Ele reiterou a tese de que poderá ajudar mais na disputa presidencial concentrando sua atuação no Estado e não como candidato a vice numa chapa puro-sangue. Disse que estará ao lado de Serra, mas reafirmou que sua prioridade é a eleição do vice, Antônio Anastasia (PSDB), e a continuidade do atual governo.

Para Aécio, o governador paulista tem todas as condições de empunhar bandeiras identificadas com os tucanos, como a gestão qualificada e "uma política externa menos vocacionada a tendências ideológicas, mas mais pragmática em defesa dos interesses reais do País".

O mineiro voltou a criticar a estratégia do presidente Lula de tentar fazer da eleição presidencial uma disputa plebiscitária, comparando a gestão atual com os dois mandatos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Aécio sugere que o PSDB faça uma campanha com os olhos "para o futuro", reconhecendo conquistas do governo Lula, mas ressaltando que o "Brasil não foi descoberto no ano 2003" e os avanços foram iniciados ainda no governo Itamar Franco, com a criação do Plano Real.

"Apresentei essa proposta ao nosso partido, existe um outro nome, dentro do PSDB, de extrema qualidade, que é o do governador de São Paulo, José Serra. No momento que o partido se direciona para a candidatura de Serra, não serei o fator de divisão", reforçou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.