O ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) cumpriu nesta segunda-feira o seu papel de fiador da candidatura do tucano José Serra à Presidência da República junto ao empresariado mineiro. Em troca, o ex-governador paulista afirmou que defenderá o fim da reeleição, o que abre caminho para Aécio tentar o Palácio do Planalto em 2014. Em entrevista mais tarde, http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2010/04/19/aecio+diverge+de+serra+e+descarta+fim+da+reeleicao+9463009.htmlAécio divergiu de Serra e descartou o fim da reeleição." / Brasil pode mais e Serra defende fim da reeleição - Brasil - iG" / O ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) cumpriu nesta segunda-feira o seu papel de fiador da candidatura do tucano José Serra à Presidência da República junto ao empresariado mineiro. Em troca, o ex-governador paulista afirmou que defenderá o fim da reeleição, o que abre caminho para Aécio tentar o Palácio do Planalto em 2014. Em entrevista mais tarde, http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2010/04/19/aecio+diverge+de+serra+e+descarta+fim+da+reeleicao+9463009.htmlAécio divergiu de Serra e descartou o fim da reeleição." /

Aécio repete que Brasil pode mais e Serra defende fim da reeleição

http://images.ig.com.br/ult_us/selo_eleicoes.jpg align=leftO ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) cumpriu nesta segunda-feira o seu papel de fiador da candidatura do tucano José Serra à Presidência da República junto ao empresariado mineiro. Em troca, o ex-governador paulista afirmou que defenderá o fim da reeleição, o que abre caminho para Aécio tentar o Palácio do Planalto em 2014. Em entrevista mais tarde, http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2010/04/19/aecio+diverge+de+serra+e+descarta+fim+da+reeleicao+9463009.htmlAécio divergiu de Serra e descartou o fim da reeleição.

Adriano Ceolin, enviado a Belo Horizonte |

AE
Aécio e Serra em reunião com empresários na sede da Federação das Indústrias

Usando barba e sem gravata, Aécio apresentou Serra para um grupo de empresários que lotou o anfiteatro da sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). O ex-governador falou por apenas seis minutos e meio, mas fez questão de citar o slogan que Serra passou a adotar desde o lançamento da sua pré-campanha, o Brasil pode mais.

Minas vive um extraordinário momento de crescimento. Vejo sinceramente que podemos continuar, como você tem dito, avançando mais. Concordo que a gente pode ainda mais, principalmente se nós rompermos com o divórcio que existe hoje entre os planejamentos dos governos federal e do estadual, disse Aécio.

Vencedor no primeiro turno nas duas últimas eleições em Minas, Aécio não conseguiu transferir votos nem para Serra, candidato tucano a presidente em 2002, nem para Geraldo Alckmin, que disputou o mesmo cargo pelo PSDB em 2006. Ambos foram derrotados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Candidato, em princípio, ao Senado (ele ainda é cotado como vice de Serra), Aécio promete ajudar o ex-governador paulista a chegar ao Palácio do Planalto. Chegue a Minas de peito aberto, seja destemido, disse Aécio. Gostaria de afirmar que desde que lançou sua candidatura ela não é mais sua. Ela é a nossa candidatura, afirmou.

Em entrevista, Serra retribuiu elogiando a gestão de Aécio à frente do governo mineiro nos últimos sete anos. Questionado, o tucano confirmou ser a favor do fim da reeleição, indicando que ele não tem intenção e que não pretende se candidatar em 2014 caso vença em 2010. Serra disse que Aécio já está ajudando na sua campanha.

Não tenho dúvida. Ele já está ajudando. É um grande parceiro aqui em Minas Gerais e um grande parceiro no Brasil. Um homem que fez um governo excepcional no Estado em vários aspectos, disse. Somos amigos, além de companheiros da vida política, completou.

Serra evitou entrar na polêmica sobre o candidato a vice. Isso será tratado no final de maio e começo de junho, disse.

Agenda Minas

Aécio entregou a Serra um documento chamado Agenda Minas, que, segundo ele, contém propostas de parcerias para ações entre governos federal e estadual. Em uma hora de palestra, Serra falou de alguns pontos sensíveis para o empresariado mineiro como as estradas federais precárias e o corte na taxa de juros.

Serra criticou o desempenho do governo brasileiro na política de comércio exterior. Chegou a defender uma reforma do Mercosul -bloco econômico formado por Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Não podemos ficar a cargo do Mercosul. Não sou contra o bloco, mas precisamos criar uma zona de livre comércio, disse.

O tucano intercalou seu discurso com dados sobre economia e elogios a Minas. Fez questão de citar homens públicos mineiros. No começo e no fim da palestra, citou times de futebol, como o América. Serra negou que seu slogan O Brasil pode mais foi copiado da campanha da nova diretoria do Santos (Santos pode mais). Eu sou palmeirense, lembrou.

Leia também

Leia mais sobre:  Serra  - eleições 2010

    Leia tudo sobre: aécio neveseleições 2010serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG