Aécio recua e diz que candidato tucano a 2010 sai até janeiro

SÃO PAULO (Reuters) - O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), afirmou na noite de segunda-feira que o candidato tucano à Presidência na eleição do próximo ano deverá ser escolhido até janeiro de 2010. O encontro de sexta-feira não vai decidir nada, afirmou Aécio a jornalistas, após receber o prêmio de Brasileiro do Ano na Política, concedido durante evento em São Paulo.

Reuters |

Mais cedo, durante encontro partidário em Belo Horizonte, o governador mineiro disse que a definição do nome do PSDB para disputar o pleito do ano que vem sairia até o final desta semana, após encontro com o governador de São Paulo, José Serra, também postulante à candidatura tucana, durante evento do partido no Piauí, na sexta-feira.

Aécio disse ter sido "mal interpretado" em suas declarações, mas que se a decisão do partido for prorrogada para março é porque a legenda "tomou a decisão pelo outro candidato".

Perguntado sobre os danos à aliança PSDB-DEM após as denúncias de corrupção contra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, Aécio afirmou que elas são "localizadas no DF" e que a parceria será mantida.

"É inegável que (as denúncias) foram negativas, mas elas são pontuais", afirmou. "O que une o PSDB ao Democratas é uma visão moderna da gestão pública. Uma visão de mundo menos ideológica e mais moderna, e isso está mantido."

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que recebeu o prêmio de Brasileiro do Ano e participará da cúpula do Mercosul em Montevidéu nesta terça-feira, não conversou com os jornalistas.

O evento contou ainda com a presença do ministro da Fazenda, Guido Mantega, escolhido Brasileiro do Ano na Economia, e do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB).

(Reportagem de Hugo Bachega)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG